Construído numa região de grande concentração de sítios arqueológicos, o Museu da Natureza propõe ao visitante uma viagem multissensorial, através de uma narrativa apresentada no decorrer da exposição, que mostra a criação do universo e os impactos climáticos nas constantes transformações da fauna e da flora.

“O Museu da Natureza contar ao visitante toda a história da região. Eles vão ver os fósseis marinhos que nós temos e irão entender sobre o movimento tectônico que levantou a serra e jogou o mar para o Ceará”, explica a diretora da Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham), a arqueóloga Niède Guidon.

“Vai ver ainda a vegetação, a Mata Atlântica, a Floresta Amazônica, toda a fauna que tinha, animais gigantescos que havia lá, a preguiça gigante, o tatu gigante. E depois há cerca de 10 mil anos, quando há a mudança climática, começa o período mais seco e a caatinga toma conta da região”, completa a pesquisadora.
O Museu está localizado ao lado do Parque Nacional Serra da Capivara, mas fora da área de preservação, isso porque o Parque está dividido em quatro muncípios piauienses: Brejo do Piaui, João Costa, São Raimundo Nonato e Coronel José Dias.

Em 1991, a UNESCO inscreveu o Parque Nacional Serra da Capivara na lista do Patrimônio Mundial, a título Cultural, devido à importância dos registros de existência do homem pré-histórico no lugar, com milhares de pinturas rupestres.

Em 12 salas dispostas em espiral onde o visitante poderá conhecer todo o processo histórico da natureza da região, do surgimento do universo, passando pela era do gelo, conhecer os fósseis de animais gigantes e a vegetação local.

O horário de visitação será das 13h às 19h todos os dias, exceto às terças-feiras. A entrada inteira custará R$ 30 e a meia R$ 15.